Browsing Category

Passeios

0 In O que fazer no Rio/ Passeios

Conheça o Museu do Samba

Compartilhe:

Você sabia que o Rio de Janeiro tem um Museu dedicado ao Samba? Pois é. O Museu do Samba fica ao lado da Quadra da Mangueira e guarda relíquias da nossa cultura popular.

LEIA MAIS: Roteiro da Boemia Carioca #1: Quadra da Mangueira

Portela_Kari_Desbrava

Posando com a bandeira da minha escola querida, a Portela

Nele, você encontra fantasias do carnaval, conhece a história das principais agremiações, entende porque a bateria da Mangueira é chamada de Surdo Um, tira uma foto com Nelson Cavaquinho, assiste a um documentário com Sérgio Cabral Filho e ainda tira uma foto no jardim de rosas de Cartola. É tanta coisa legal que você encontra lá…

O passeio pela exposição é guiado e bem didático. Se você não entende nada de Carnaval você vai sair de lá muito bem informado. Se entende, o passeio vale pelas curiosidades e as artes expostas.

Fantasias típicas do Carnaval Carioca: malandro, passista, baianas e

Fantasias típicas do Carnaval Carioca: malandro, passista, baianas e mestre-sala

Na entrada, os funcionários do museu solicitam uma doação no valor de R$5 para a manutenção do espaço. Maiores de 60 anos estão isentos da taxa. Apesar de ser bem conservado, o Museu do Samba carece de ajuda para investir em pesquisas e funcionários. Fica aqui o meu apelo as autoridades para maiores investimentos no local que tenta preservar a história do samba.

Devido a falta de investimento, o local só abre pra visitação de segunda a sexta, das 10h30 às 16h30. Por esse fato, também é legal agendar a visita.

Serviço: 

Rua Visconde de Niterói, 1296, Mangueira. Te.: (21) 3234-5777.

 

***

Se você gostou desse conteúdo compartilhe nas redes sociais. 😉

 

Beijos,

Kari.



Compartilhe:
4 In O que fazer no Rio/ Passeios

Conhecendo o Museu de Belas Artes, no Rio de Janeiro

Compartilhe:

Fala pessoal!

Hoje vou apresentar para vocês o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), localizado no Centro do Rio de Janeiro. Mas antes quero dizer que esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva #MuseumWeek da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (RBBV) e que ao final deste post você encontrará muitas outras dicas bacanas sobre outros museus espalhados por esse mundão. Dito isso vou contar para vocês como foi minha visita ao MNBA.

O Museu de Belas Artes fica localizado na Avenida Rio Branco, a principal rua do centro da cidade do Rio. Ele fica bem próximos a outros locais históricos e super legais como o Theatro Municipal, a Biblioteca Nacional e o restaurante Amarelinho, na Cinelândia. Ou seja, se depois da visita ao Museu você quiser dá uma esticadinha em outros lugares, o que não falta é opção.

Que tal uma viagem ao Rio de Janeiro? Através do Kari Desbrava, que é afiliado do Booking.com, você pode reservar sua hospedagem e ficar sossegado 🙂



Booking.com

Foto: Ministério da Cultura/Reprodução internet

Sala com quadros que contam o período colonial Foto: Ministério da Cultura/Reprodução internet

Voltando a visita…. o Museu Nacional de Belas Artes tem três andares. No primeiro, ficam as exposições itinerantes e um corredor com belíssimas estátuas que remetem a Grécia Antiga. Já no segundo e terceiro andar ficam os quadros sobre o período colonial no Rio de Janeiro. Uma grandiosidade que retrata a fundação da cidade do Rio, a época da Monarquia e começo da República e o período em que fomos capital do país.

Quando fui (em 28 de fevereiro deste ano), estava rolando uma exposição sobre o Rio também. A mostra “Você está aqui” traça um comparativo entre o Rio que fomos e o que somos hoje.  Achei bem interessante a proposta de fazer o público refletir que cidade queremos ser, ainda mais em ano de Olimpíadas e tantas polêmicas.

Outro fato legal é que aos domingos a entrada no MNBA é gratuita. Então, o passeio já pode sair mais em conta se você for no domingão. Mas caso tenha que ir durante a semana não se preocupe. Os ingressos custam R$8, com meia por R$4.

Fora as salas de exposições, o MNBA também tem um jardim. Queria ter tirado fotos nele, mas visitá-lo não é permitido. 🙁 Então, me restou tirar foto da varandinha, que é essa que vocês podem vem aí embaixo:

 

Kari

Jardim do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA)

Como chegar:

Por ficar na área central do Rio há muitos meios de transporte para chegar até o Museu Nacional de Belas Artes. Confira quais são:

Como chegar - Museu de Belas Artes

Foto: Site Museu Nacional de Belas Artes

 

Serviço:

Museu Nacional de Belas Artes. Av. Rio Branco, 199 – Centro, Rio de Janeiro. Funciona de terça a sexta-feira das 10 às 18hs; e sábados, domingos e feriados das 12h às 17 h.

 

LEIA MAIS: 

Visita ao Museu de Arte do Rio (MAR)

Sete perfis sobre o Rio de Janeiro para seguir no Instagram

10 lugares para conhecer no Rio de Janeiro

Um passeio no Palácio Guanabara

***

Veja as dicas de outros blogueiros de viagens que participaram desta blogagem coletiva #MuseuWeek:

 

Geral

A Fragata Surprise – Casas-museus: a vida cotidiana de gente muito especial

Despachadas – 5 Museus Interativos ao redor do mundo

Europa

Alemanha

Tá indo pra onde? – Ilha dos Museus

Viajoteca – 5 museus inusitados em Berlin

Pelo Mundo Com Vc- Museu do Holocausto ou Memorial aos Judeus Mortos da Europa

Já Fomos – Visitando o Campo de Concentração em Dachau

Pequenos pelo Mundo – Museus de  Automóveis na Alemanha

A Li na Alemanha – Museu Mercedes-Benz

Bulgária

Escolho Viajar – Museu Nacional de História Militar

Croácia

Rodinhas nos Pés – Museu Croata de Arte Primitiva

Espanha

Virando Gringa – Museo Atlantico

Comendo Chucrute e Salsicha – Museo de Artes y Costumbres Populares de Sevilla

Esto Es Madrid, Madrid – Museo de Altamira

Sol de Barcelona – Museu Joan Miro

França

Viagem LadoB – Museé D’Orsay

A Path to Somewhere – Centre Pompidou

Destinos por onde andei… – Louvre

Direto de Paris – Musée Rodin

SOSViagem – Museu do Louvre X Museu d’Orsay

Apure Guria – Antigo Egito no Museu do Louvre: incrível!

Grécia

Viaje Sim! – Museu Arqueológico de Delos

Fourtrip – Museus de Atenas

Holanda

Novo Caroneiro – Sexmuseum

Hungria

Juntando Mochilas – Museu do Terror

Irlanda

The Life of isa – 4 museus gratuitos em Dublin

Itália

Passeios na Toscana – Palazzo Pitti

The Nat’s Corner – Pinacoteca de Brera

Vou pra Roma – Museus do Vaticano

Roma Pra Você – Galleria Borghese

Grazie a Te – Corredor Vasariano

Malta

Viagens Invisíveis – Palácio dos Grandes Mestres e Armaria

Reino Unido

No Mundo da Paula – Museum of London

Vamos Viajar – British Museum

Segredos de Londres – Victoria and Albert Museum

Mochilão Barato – Madame Tussauds

República Tcheca

Trilhas e Cantos – Museu do Comunismo

Rússia

Love and Travel – Museu Hermitage – Rússia

Viajei Bonito – Hermitage Museum

Suécia

Viajar pela Europa – Museu Vasa de Estocolmo

Suíça

Carta sem Portador – Fondation Gianadda

Turquia

Viagem a Dois – Palácio Topkapi

Travel with Pedro – Museu de Arte Islâmica e Turca

América do Sul

Argentina

Sonhando em Viajar! – Buque Museo Fragata A.R.A. “Presidente Sarmiento”

Brasil

Coisos on the go – Inhotim

E aí, Férias! – Museu Imperial

Outro blog – Museu do Amanhã

O Melhor Mês do Ano – Museu do Futebol

Cantinho de Ná – Museu do Frevo

De Cá Pra Lá – Museu Palácio dos Bandeirantes

Viagens que Sonhamos – Fundação Iberê Camargo

Nativos do Mundo – Museu da República

Atravessar Fronteiras – CCBB – DF

Embarque neste blog – Museu Casa Guilherme de Almeida

Vida de Turista – Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS

Mel a Mil pelo Mundo – Museu Julio de Castilhos

Devaneios de Biela – Museu Oscar Niemeyer (Museu do Olho)

Tirando Férias – Museu de Zoologia da USP

Viagem em Detalhes –  Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência

D&D Mundo Afora – 9 museus no Brasil

Estrangeira – Museu Histórico de Alcântara

Viajar hei – Os melhores museus para levar as crianças entre Rio e São Paulo

Chile

Gastando Sola Mundo Afora – Museo Chileno de Arte Precolombino

Peru

De Mochila e Caneca – Museu da Inquisição

América do Norte

Estados Unidos

Família Viagem – Fernbank Museum of Natural History

Janela para o Mundo – Graceland

RenataPereira.tv – Bibliotecas e Museus presidenciais nos EUA

Aquele Lugar – Museu do Ar e Espaço

Fica Dica Viagens – Vizcaya Museum

Casal Califórnia – Museus no Balboa Park

Malas e Panelas – The Broad Museum

Felipe, o pequeno viajante – Museu de Anchorage, Alaska

Ideias na mala – Melhores Museus de San Francisco

México

Viagem de Fuga – Museu Frida Kahlo

Uzi Por Aí – Museu Soumaya

Eu sou à toa – Casa-museu de Frida Kahlo e Casa-estúdio de Diego Rivera

Asia

China

Like Wanderlust – Museu Qin e os Guerreiros de Terracota

Vietnã

Brazuka – Museu da Guerra (War Remnants Museum)

Japão

A Aventura Começa – Museu Meijimura

Oceania

Australia

Coordenadas do mundo – Museu de Arte Contemporânea

 

***

 

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe nas redes sociais. 😉

 

Beijos,

Kari.



Compartilhe:
0 In O que fazer no Rio/ Passeios

Visita ao Palácio Guanabara

Compartilhe:

Há alguns dias eu lancei uma pergunta no Insta e no Facebook do blog (se você ainda não me segue clique aqui e aqui para ficar sempre por dentro das minhas aventuras e me siga no snap @karidesbrava) onde eu estava nessa foto aí embaixo:


Pois bem… Vou acabar o mistério. Fui desbravar o Palácio Guanabara, em Laranjeiras. A história do Palácio é muito bacana. Ele foi construído no período colonial e depois foi reformado para ficar mais luxuoso e ser a casa da Princesa Isabel e seu marido, Conde d’Eu. Com o passar do tempo, o Palácio Guanabara virou a residência de personalidades importantes o presidente como Getúlio Vargas.

Atualmente, o palácio é usado como sede administrativa do governador. Mas, suas paredes respiram história. E conhecê-la de pertinho ficou ainda mais fácil. Um projeto do Sesc em parceria com o governo está agendando visitas para quem quer visitá-lo.

Para agendar a sua visita clique neste link. Os passeios são guiados por alunos do curso Técnico em Turismo do Sesc. No passeio é possível conhecer o salão principal, onde eram realizadas as festas e saraus promovidos por Princesa Isabel, o salão verde (uma espécie de sala de jantar) decorado por Getúlio, o salão Estácio de Sá (onde ficava um quadro enorme que retrata a morte do fundador da cidade do Rio), a capela de Santa Teresinha (construída a pedido de Carmela Dutra) e o jardim super hiper mega lindo.

 

A visita

O palácio está muito bem conservado e suas paredes, como eu disse transmitem histórias. Os quadros, os móveis, os detalhes da parede. Tudo é muito fascinante e o passeio é um verdadeiro banho de história do Brasil. Vale a pena!

Mas a parte que mais curti foi o jardim. Explico! Além de ser muito lindo (SE PREPARA QUE LÁ VEM SPOILER!!!) você o conhece ao som de Wave, de Tom Jobim, tocado por uma orquestra. Geeeeeente, quase chorei! Música da melhor qualidade e uma vista de cair o queixo! Não tem como resistir.

10525038_1030262387036888_1035417611_n

Jardim do Palácio Guanabara, em Laranjeiras

Além disso, outras partes da visita são interessantes pelas curiosidades. Você sabia que as palmeiras da Rua Paisandu, no Flamengo, são alinhadas as palmeira do jardim do Palácio Guanabara? Tudo isso porque a Princesa Isabel pediu para que as palmeiras imperiais fossem plantadas até bem próximo à praia do Flamengo para fazer sombra para quando ela fosse ver o mar.

Outra curiosidade é Camerla Dutra ter pedido para que o marido, Eurico Gaspar Dutra, construísse a igreja de Santa Teresinha. O pedido foi motivado pelo fato da primeira-dama ter uma doença degenerativa e por conta disso não poder se deslocar até Portugal para rezar para a santa. Com o passar do tempo, a doença de Carmela foi se agravando e a santinha foi “descida” para a altura da janela do quarto de Carmela.

Conhecer o Palácio Guanabara vale para adquirir mais conhecimento histórico, vale pelo fato de você apreciar um vista incrível, vale pelo fato de você ouvir uma boa música, vale pelo fato de que o projeto é algo muito bem feito. Ah, apesar de tanta coisa legal, a visita dura somente 30 minutinhos. Algo muito curto para a grandiosidade do lugar.

Mais fotos do passeio: 

 

 

Confira:

Roteiro da Boemia Carioca #1: Quadra da Mangueira

Roteiro da Boemia Carioca #2: Beco do Rato 

Roteiro gastronômico e cultural de Benfica

 

***

 

Se você gostou deste conteúdo compartilhe nas redes sociais. 😉

 

Beijos,

Kari.



Compartilhe:
0 In Agenda/ Passeios

Visita à exposição de Frida Kahlo no Rio

Compartilhe:

O #KariDesbrava de hoje vai falar de uma exposição super bacana. A mostra “Frida Kahlo – Conexões entre Mulheres Surrealistas no México” desembarcou na Cidade Maravilhosa para maravilhar os cariocas. Com obras de artistas surrealistas, a exposição reúne pinturas e esculturas das artistas Frida Kahlo, Lucienne Bloch, Nickolas Muray, Bernard Silberstein, Hector Garcia e Martim Munkácsi. 

Já conhecia um pouco do Surrealismo quando estudei Literatura no colégio. E foi muito legal relembrar os conceitos aprendidos na prática vendo os quadros, as reportagens sobre este estilo e analisando as vestimentas da Frida.

Poderia dissertar horas a fio sobre tudo que achei da exposição. Entretanto, creio que imagens valem mais que mil palavras. Logo, vou compartilhar com vocês alguns dos meus cliques.

Aaaah… Mais antes de mostrar as fotos vale lembrar alguns detalhes sobre a exposição:

  • Frida Kahlo – Conexões entre Mulheres Surrealistas no México”  fica em cartaz até o dia 27 de março no Centro Cultural Caixa Rio de Janeiro;
  • O Centro Cultural Caixa Rio de Janeiro fica na Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro;
  • Para ver a mostra é preciso agendar data e horário no site da Ingresse  ;
  • Também é possível agendar a visita presencialmente, segundo uma guia me informou quando fui a exposição;
  • A entrada para exposição é gratuita;

Voilà… Vamos as fotos!

Quadro Frida Khalo - Kari Desbrava

Figurinho Frida Khalo - Kari Desbrava

Réplicas das roupas de Frida Kahlo

Quadra Frida

Autorretratos

KariDesbrava - Frida khalo

Eu e Frida, hehehe

Frida Khalo

Frida

 

E vocês, qual exposição foram que mais gostaram? Tem alguma fixa que indicariam a visita? Deixa aí nos comentários!

 

Se você quer estar sempre por dentro das minhas aventuras me siga no snapchat ou no Instagram: @karidesbrava 😉

***

Gostou deste post? Compartilhe nas redes sociais e ajude o blog na divulgação do conteúdo!

 

Beijos,

Kari.

 



Compartilhe:
0 In O que fazer no Rio/ Passeios

Três formas de conhecer o Rio de Janeiro sem gastar nada

Compartilhe:

O Riode Janeiro  é um cidade linda. Disso todo mundo sabe. Mas também tem preço surreais quando falamos de entretenimento. Pensando nisso, resolvi ajudar quem procura por Diversão sem gastar rios de dinheiro, hehehe.

Conhecer mais da Cidade Maravilhosa nem sempre requer botar a mão no bolso. Existem programas que fazem passeios pela cidade de forma gratuita e que nos ensinam mais sobre a nossa história e, consequentemente sobre quem somos enquanto indivíduos e sociedade. E vou conta pra vocês quais são eles.

Rolé Carioca

Conheci o Rolé Carioca na época que fiz um projeto sobre os 450 do Rio de Janeiro no jornal em que trabalho. Achei o projeto super legal e, claro, por isso estou indicando ele aqui. Nas caminhas pelos bairros da cidade, os professores que comandam o passeio dão uma aula ao ar livre de história. Já participei do Rolé no Méier e em Paquetá e pretendo ir em outros.

 

Roteirois Geográficos

Realizados a pé, os passeios são diurnos e noturnos. O projeto coordenado pela Uerj tem uma extensa cartilha de lugares a serem visitados que podem ser conferidos neste link.

Roteiros Geográficos

Foto: Reprodução Facebook

Rio Free Walking

O Rio Free Walking Tour é uma empresa de turismo que faz alguns tours gratuitos pelo Rio. Através deles vocês podem conhecer mais sobre o Centro Histórico do Rio sem pagar nada.

Rio Free Walking Tour

Foto: Reprodução Facebook

Mesmo que a situação financeira de muitos esteja apertada, com criatividade sempre é possível se divertir. Depois destas dicas é só se programar e descobrir a sua cidade!

 

Quer conhecer mais passeios gratuitos ou baratinhos no Rio de Janeiro? Então confira os posts: Oito coisas para fazer de graça no Rio, Paquetá: O bairro mais bucólico do Rio e Dicas para conhecer a Pedra do Telégrafo.

 

Qual outro passeio você indica para desbravar o Rio de Janeiro? Me conta nos comentários e ajude mais pessoas a desbravar essa cidade.

***

Se você gostou deste conteúdo compartilhe nas redes sociais. 😉

Beijos,

Kari.



Compartilhe:
0 In Carioquices/ O que fazer no Rio/ Passeios

10 lugares para conhecer no Rio de Janeiro

Compartilhe:

Falaa pessoal!

Estou participando de uma blogagem coletiva, na qual eu e outros blogueiros de viagem iremos falar sobre atrações bacanas de nossa cidade. Falarei sobre a #minhacidade querida e indicarei 10 lugares legais para visitar na Cidade Maravilhosa. Saca só 😉

1- Morro da Conceição| Cais do Valongo | Jardim Suspenso do Valongo

Localizado no coração do Rio, os três lugares são ricos em história e merecem a sua atenção. Essa região, que fica próxima a Praça Mauá, está sendo redescoberta devido a revitalização da praça. Para quem quer conhecer o Morro da Conceição, não tem como não passar pela Rua do Jogo da Bola e sentar no Bar Imaculada (em breve ambos os locais ganharão um post só para eles 😉 ).

O Jardim Suspenso do Valongo é cenografado, porém mesmo assim imperdível. Já o Cais do Valongo foi o local em que passaram mais de 500 mil escravos vindos da África, retratando um triste período de nossa história. Se tiver com tempo, passe também no Observatório do Valongo e curta as estrelas.

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

2- Largo do Boticário

Pouco conhecido dos cariocas, o Largo do Boticário é um show quando falamos de arquitetura. Tudo porque o local se caracteriza pelos casarões no estilo neocolonial. A exuberante vegetação de Mata Atlântica também chama a atenção de quem o visita. O acesso é feito por uma estreita viela, o Beco do Boticário, que passa sobre uma pequena ponte sobre o rio Carioca.

3-  Instituto Moreira Salles

E por falar em show de arquitetura, outro lugar belíssimo de se conhecer é o Instituto Moreira Sales. Lá, além da bela casa que é um espetáculo para os olhos, você pode conferir exposições de arte, filmes e shows.

 

Blog Foco No Mundo dá dicas de como conhecer o Cristo Redentor 

 

4 – Praia da Joatinga

Recentemente, mostrei para vocês nesse post como é a Praia da Joatinga. Vou usar essa listinha para reforçar como a Joatinga é um lugar lindo e que deve ser muito apreciado pelos cariocas. Então, não esqueçam: quando puderem visitem a Joatinga.

Praia da Joatinga - Rio

Que lugar lindo! 🙂 Foto: Karilayn Areias

5- Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro

Uma riqueza no alto do Rio e que pode ser vista do Aterro do Flamengo. A  Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro também é uma das belezuras de nossa arquitetura e história. Não esqueça de levar a câmera para registrar todos os momentos.

Outreiro da Glória

Foto: Reprodução Facebook

6- Shopping Bossa Nova Mall

O shopping ainda é novo e talvez por isso não seja muito conhecido. Mas, o que ele tem de novo ele tem de incrível. Com uma vista para a Baía de Guanabara, não tem como não ficar de queixo caído.

Numa vista dessa não tem como botar defeito. 🙏 #bossanovamall #riodejaneiro #cidademaravilhosa #inaugurou

Uma foto publicada por Bossa Nova Mall (@bossanovamall) em

7- Mirante Dona Marta

O Mirante Dona Marta é um dos meu passeios favoritos. Gente, não tem como não se apaixonar por esse lugar. De verdade. O local é simples, mas recompensa só de olhar a “buniteza” do Rio. Vale fazer a Trilha até o Cristo e depois dá uma passada lá.

Mirante_Dona_Marta_KariDesbrava

Foto: Acervo Pessoal

8- Grumari 

É um bairro famoso pelas praias selvagens de Grumari (a principal), como também pelas praias do Perigoso, do Meio, Funda, e do Inferno, essas acessíveis por trilha ou pelo mar. Em Grumari, também fica a Praia do Abricó, a única praia de nudismo da cidade do Rio.

Foto? Alexandre Macieira |Riotur

Foto: Alexandre Macieira |Riotur

9-  Maracanã

Você pode ir no Maraca ver os jogos. Mas você também pode visitá-lo quando as competições não estiverem rolando. O roteiro de visitação passa pelo acervo, vestiário, sala de aquecimento, campo com bancos de reservas, chute a gol na grama sintética, arquibancadas e studio de TV.

Maracanã_Divulgação_KariDesbrava

Foto: Divulgação Site Maracanã

10- Lapa

Representando a boêmia e malandragem carioca, um passeio pela Lapa é vivenciar  a mistura carioca. Na Lapa, é possível curtir um samba, funk, reagge, jongo, etc. Os Arcos da Lapa, o passeio na escadaria Selarón e a proximidade com Santa Tereza compõe o charme do bairro.

 

Me conta, qual lugar você mais gosta de passear no Rio?

***

Confira o post de outros blogueiros de viagem que estão participando da blogagem coletiva #minhacidade: 

Casal Califórnia – O blog Casal Califórnia, que adotou San Francisco como seu novo lar, traz 10 dicas de museus para todos os gostos, bolsos e idades!

O Melhor Mês do Ano – O blog O Melhor Mês do Ano, que é da ZL paulistana (sem preconceitos, viu) traz 9 atrações imperdíveis no centro de São Paulo.

Fourtrip –  O blog Fourtrip te prova que é possível conhecer 10  famosos pontos turísticos do Rio de janeiro, sem gastar nada!

Destinos por onde andei… – O blog conta para os leitores dicas de lugares imperdíveis na capital mineira. Afinal, BH é tudo de bom, uai!!!

Viagem de Fuga – Você sabia que as 6 melhores sorveterias de São Paulo estão concentradas em único bairro? Vem se refrescar com a gente!

Atravessar Fronteiras – Brasília não é só o que você vê na TV. Somos uma cidade pulsante e aqui você vai conhecer programas fora do cartão postal.

Família Viagem – São Paulo é o paraíso da gastronomia e sair para comer é um dos grandes baratos da cidade. Veja alguns lugares que você precisa conhecer.

A Li na Alemanha – Aachen na Alemanha, é uma cidade desconhecida para os turistas, mas com muita história para contar. Veja algumas atrações da cidade.

Vou pra Roma –  O Blog VoupraRoma escolheu as 10 atrações que você não pode deixar de ver em Roma.

Viajando por Aí – Saia do circuito turístico  e conheça o Rio de outra maneira: 5 passeios diferentes no Rio de Janeiro!
Colecionando Ímãs – Palácio do Planalto? Procuradoria Geral da República? Itamaraty? As atrações de Brasília que você precisa conhecer para saber do que o William Bonner tá falando!

Viviendo en el México Mágico! – 10 coisas pra se fazer em San Luis Potosí – Mex!

Janela para o Mundo – 10 pontos turísticos bem interessantes de se conhecer no Rio de Janeiro. Alguns são mais famosos, outros são bem menos comuns nas listas das atrações do Rio e nem sempre conhecidos por muitos cariocas.

Me deixa ser turista – Que tal aproveitar um domingo de avenida Paulista aberta para os pedestres não só para pedalar e bater perna, mas também para curtir o que tem de mais legal por ali?

Turista Fulltime – A maioria dos brasileiros, quando visita a “Terra dos Tamancos”, tem Amsterdã como destino principal. Se sobra algum tempo, vai visitar alguma outra cidade tipicamente holandesa. Uma pena: deixa de conhecer Haia, um centro cultural, político e econômico surpreendente!

A Casa na Mala – Aqui estão 8 motivos que fazem valer a pena conhecer Oviedo, cidade espanhola que, segundo o diretor de cinema Woody Allen, parece saída de um conto de fadas!

Ligado em Viagem –  Nós listamos 5 atrações turísticas em Karlsruhe (e Ettlingen) na Alemanha, que devem ser incluídas em qualquer roteiro de visita ao estado de Baden-Württemberg.

Passeiorama – Dica bem legal para quem mora ou apenas está de passagem por São Paulo! Separamos os 9 parques que mais gostamos na cidade, um pouco de natureza no meio da selva de pedra!

***

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe nas redes sociais. 😉

Beijos,
Kari.



Compartilhe:
0 In O que fazer no Rio/ Passeios

Desbravando a Praia da Joatinga

Compartilhe:

[Leia este post ouvindo Vamos Fugir – Natiruts]

Fala pessoal!

Como foi o Ano Novo de vocês? O meu foi ótimo e espero que o de quem está lendo esse texto tenha sido também. Para começar 2016 com o pé direito venho dar uma dica porreta de boa. Que tal começar o ano que se inicia descobrindo um paraíso urbano em pleno Rio de Janeiro?

Se você se animou com a ideia, saiba que isso é possível sim. Mais como Kari? Você deve estar se perguntando. E eu respondo. Vá a praia da Joatinga, na Zona Oeste do Rio.  Esse paraíso fica tão perto de nós cariocas, mas a maioria nem sabe. Então, vamos desbravar meu povo!

A aventura até Joatinga

Apesar de ser uma praia L-I-N-D-A, chegar na praia da Joatinga não é uma missão tão fácil. Já começo cantando a pedra, não para desanimar, e sim par preparar você caro leitor. Recomendo a praia da Joatinga para quem gosta de natureza e/ou gosta de uma trilha leve. Mais se você está nesse blog, provavelmente, é porque gosta das situações sitadas anteriormente, hehehe.

DCIM100GOPROGOPR0445.

Sendo assim, deixando bem claro este fato, vou explicar como cheguei até lá. Primeiro, o ideal é ir de carro. A praia da Joatinga fica em uma área dentro de condomínios fechados e portanto para ir de transporte público você pegará no mínimo 2 ônibus, conforme minhas pesquisas no Google Maps.

O caminho que fiz foi pegar o Túnel Rebouças, Avenida Borges de Medeiros, Autoestrada Lagoa-Barra e Estrada do Joá. Se você não souber o percurso, assim como eu não sabia, recomendo usar o Waze, e se por acaso o aplicativo traçar alguma rota por uma caminho estranho não hesite em parar e perguntar. Como diz o ditado, quem tem boca vai a Roma e também chega à praia da Joatinga, hahaha.

Se você não mora na Zona Oeste do Rio ir à Joatinga é praticamente uma aventura. Apesar de não ser uma praia mega conhecida como Copacabana ou Ipanema, lá também fica cheia e se me permite um conselho: “chegue cedo”.

Para desfrutar da beleza natural da Joatinga é preciso fazer um espécie de pequena trilha. Assim que chegar você descerá umas escadas, atravessará as pedras e aí sim desfrutará da tão sonhada praia. Também é bom ficar atento as condições da maré. Por ter uma estreita faixa de areia, se a maré estiver alta, de repente não role de pegar uma praia.

A praia 

Bonita por natureza. Assim defino a Joatinga. Com cerca de 300 metros de faixa de areia, a praia é pequena mais é uma graça. Com um ar mais rústico do que outras praias urbanas, a Joatinga consegue ser ainda assim aconchegante.

Por ser mais afastada, a Joatinga costuma ser reduto dos famosos. Só nesse dia, encontrei Ingrid Guimarães e Cauã Reymond curtindo o sol por lá. Outro fato é que lá você verá os banhistas jogando altinha e frescobol, o que é proibido até as 17h nas demais praias do Rio. Isso não me incomodou, pois percebi que as pessoas tinham cuidado para não acertar quem não participava da brincadeira. Porém, se você não gosta de jogos à beira-mar talvez isso te irrite um pouco.

Praia da Joatinga 2 KariDesbrava

Cachorros também são bem comuns por lá. Amo cachorros entretanto acho que eles e praia não são a melhor combinação. Ainda mais num calor de 98° do Rio. Tadinho dos bichinhos…

Um outro ponto que deve ser destacado é que a Joatinga não tem chuveirinho para tirar o sal do corpo após aquele mergulho no mar. Então, se você não dispensa aquele banho do chuveirinho talvez a Joatinga também não seja o melhor lugar para você.

Minhas considerações

A Praia da Joatinga é bem rústica e pouco conhecida dos cariocas e até mesmo turistas. Antes de aventurar por lá pesquisei bastante em como chegar e o que levar. [Falando no que levar, prometo um post do que levar na sua bolsa de praia e para trilhas em breve. 😉 ] Um post que me ajudou bastante foi o do blog Apaixonados por Viagens.

Quando li o relato sobre a Joatinga confesso que me assustei um pouco. Porém, como gosto de aventuras resolvi encarar. E sinceramente não me arrependo nem um pouco. A Joatinga é linda, tem um visu incrível e é o lugar ideal para ter contato com a natureza, renovar as energias e ver gente bonita, caso seu interesse seja esse já que lá tem muita gente jovem.

Praia da Joatiga KariDesbrava

A única coisa que acrescentaria ao post em que li é que ambulantes já chegaram por lá, graças a Deus. Então, se você está disposto a gastar e não quiser carregar sua água, barraca e cadeira, você pode alugá-la por um preço, claro, um pouco salgado.

 

***

Você também pode gostar de saber como foi meu passeio pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos

 

***

Se você gostou deste post compartilhe nas redes sociais. 😉

 

Beijos,

Kari.

 



Compartilhe:
0 In Passeios/ Sambas

Roteiro da Boemia Carioca #2: Beco do Rato

Compartilhe:

[Leia o post ouvindo Nascente da Paz – Fundo de Quintal]

O “Roteiro da Boemia Carioca” de hoje vai falar de um reduto do bom samba. E é justamente por ser do samba que muita gente que curte outros ritmos musicais talvez nunca tenha ouvido falar de lá. Eu mesma conheci faz pouco tempo e fiquei completamente encantada com o local. Adivinha de onde to falando? Tchan, tchan, tchan!!! É claro que é do Beco do Rato.

Beco do Rato: Uma ótima opção para quem quer curtir um bom samba

Beco do Rato: Uma ótima opção para quem quer curtir um bom samba Foto: Karilayn Areias

Localizado na Rua Joaquim Silva, na Lapa, o bar abriu em 2005 e de lá pra cá é só sucesso. A primeira coisa que me chamou a atenção foi o cuidado com a decoração. Tem quadros de famosos sambistas “espalhados” cuidadosamente por todos os lados. Também há fotos, uns mini-postes no salão,  o nome de sambistas e compositores cravados na mesa e uma enorme estátua de São Jorge. O dono da casa, seu Márcio Pacheco, responsável também pelo Samba Luzia, é filho de Ogum e por isso a bela homenagem ao santo.  

A programação do local é muito variada. Às terças, a partir das 19h, acontece as “Terças Desamplificadas” que traz uma roda de samba e o espaço para novos compositores mostrarem seus trabalhos e perpetuarem o ritmo que é a cara do Rio. Quinta-feira lá é dia de mais samba, desta vez com a roda sendo comandada por Mosquito e Inácio Rios. Já as sextas, é dia de voz é violão com Bruno Garcia, a partir das 18h.

 

Para comer, tem diversas iguarias. Eu recomendo o sanduíche de linguiça mineira com queijo (lingüiça mineira with cheese sandwich) ou os pastéis que são uma delícia. Quem curte uma cervejinha e um bom samba, não pode deixar de conhecer esse cantinho tão especial do Rio.

Serviço

Beco do Rato. Rua Joaquim Silva, n° 11, Lapa.

 

***

Se você gostou deste conteúdo compartilhe nas redes sociais.

Beijos,

Kari.

 

 

 



Compartilhe:
0 In Agenda/ Passeios

Exposição mostra com era o Rio de Janeiro há 450 anos

Compartilhe:

Você já parou para pensar como o Rio era há 450 anos? Pois é… A exposição “A Fundação da Cidade e Seus Marcos Históricos”, em cartaz no Museu Histórico Nacional, propõe uma viagem à época da chegada dos primeiros exploradores ao Rio de Janeiro. Como viajantes do tempo, é possível saber como era a região em um período tão distante.

Aldeia Tamoio, atual Flamengo Foto: Divulgação

Aldeia Tamoio, atual Flamengo Foto: Divulgação

Na mostra vemos detalhes sobre as primeiras construções, barcos, armas e a história da fundação da cidade. Quatro cenários ainda são exibidos em detalhes: A aldeia Tamoio, onde viviam os índios Tamoios, antigos senhores da terra; O Forte dos Franceses, onde os franceses estabeleceram sua principal fortificação;  Arraial dos portugueses, no sopé do morro do Pão de Açúcar, onde os portugueses fundaram o Rio de Janeiro e sustentaram dois anos de escaramuças contra os franceses e seus aliados Tamoios; e o Morro do Castelo, para onde a cidade foi transferida logo depois da vitória militar dos portugueses.

 

Uma reportagem muito legal do telejornal “Bom Dia Brasil”, nos explica mais sobre a mostra. Veja o vídeo AQUI.  A exposição fica em cartaz até 6 de janeiro do ano que vem de terça a sexta, das 10h às 17h30, e aos fins de semana e feriados, das 14h às 18h.  O ingresso custa R$ 8 e aos domingos a entrada é franca.

Essa dica já tá anotada no meu caderninho. Não vão perder, hein?!

 

Serviço

Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora. s/n, Centro – Rio de Janeiro.

 

***

Se você gostou deste post compartilhe nas redes sociais. 😉

 

Beijos,

Kari.

 

 

 



Compartilhe:
0 In Passeios/ Sambas

Roteiro da Boemia Carioca #1: Quadra da Mangueira

Compartilhe:

[Leia este post ouvindo “A menina dos olhos de Oyá – Mangueira 2016”]

Quadra da Mangueira

Quadra da Estação Primeira de Mangueira lotada Foto: Reprodução Facebook

Com uma vasta programação de samba, na minha humilde opinião a qualidade “de Cidade Maravilhosa” atribuída ao Rio de Janeiro em boa parte se deve a isso. Berço do ritmo, o que não falta por aqui são rodas de samba com muito batuque, gente bonita, cerveja gelada e muita diversão, com o perdão do clichê. E por ser assim, eu, uma admiradora nata do Rio, resolvi homenagear essa boemia toda fazendo a série “Roteiro da Boemia Carioca”, na qual compartilharei com vocês rodas de sambas conhecidíssimas e outras nem tanto assim, para o conhecimento e diversão de todos.

Para dá o ponta pé inicial da nova série, começarei pela quadra da escola Estação Primeira de Mangueira. Fundada em 1928, a Mangueira é uma das mais tradicionais escolas do Rio. Para quem é carioca ou conhece um pouco de carnaval isso não é novidade. Mas ir a quadra da escola talvez seja. Muitos tem medo de ir lá por ela ficar aos pés do Morro da Mangueira, porém, fui e achei muito tranquilo. Tinha policiamento e todo mundo só queria festejar.

12270039_974102729319521_221556746_n

No ritmo do Carnaval 2016. Me sentindo a passista, hehehe

A infraestrutura da quadra me chamou muita atenção. Limpa, colorida, ampla, e arejada (eles tem um teto retrátil :O ), essas características com certeza trazem um conforto a mais para o folião. Sem falar na energia. Perdi as contas de quantas vezes fiquei arrepiada com o som da bateria Surdo Um (esse é o apelido da bateria deles :P).

A escola também tem uma lojinha de suvenir que vende vários objetos com tema próprio: camisas, copos, chaveiros, chapéus, e até apetrechos para cabeça (esse da foto acima comprei lá).  A entrada custou R$ 30, mas o valor do ingresso varia de acordo com o evento. Portanto é sempre bom verificar o preço antes de ir.

Se me pedirem para resumir a quadra da Mangueira em uma palavra seria: Energia. Tudo nela, desde as cores até as pessoas, te fazem sentir viva e ter mais vontade de sair sambando por aí. Apesar de ser uma Portelense convicta, não posso deixar de admitir que meu coração ficou encantado pela Mangueira.

12278138_974106112652516_803670093_n

Da direita para esquerda: Fachada da quadra da Mangueira, apresentação de um grupo formado só por mulheres, curtindo um sambinha, teto retrátil.

Como chegar?

Quadra da Estação Primeira de Mangueira: Rua Visconde de Niterói, 1072.

Melhor opção: Táxi. Se você não sabe onde fica, vai beber ou não quer se preocupar em achar uma vaga, vá por mim, vá de táxi.

De ônibus: As linhas 711 (Rio Comprido – Rocha Miranda) e 371 (Praça Seca – Praça da República), antiga 284,  passam em frente a quadra e podem ser uma opção para quem deseja economizar.

Carro: Não aconselho, pois fica lotado e fica bem complicado de achar uma vaga para estacionar. Sem falar, que samba geralmente é um local com bastante opção de bebidas. Então lembre-se: se for dirigir, não beba.

***

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe: