Search results for

marajó

0 In Ilha de Marajó/ Pará/ Viagens

Como chegar à Ilha de Marajó

Compartilhe:

Chegar em Marajó foi uma das coisas mais loucas que já fiz na vida. Digo isso, pois essa viagem para mim já foi um desafio e tanto por vários motivos. Entre eles o fato de não ter muita informação disponível sobre a Ilha, se formos compará-la com outros destinos, por exemplo, e o fato de ser uma mulher sozinha visitando Marajó. Mas, esse parte fica para outro post.

Voltando a parte de como chegar em Marajó… saí do Rio de Janeiro sem a menor ideia de como ir de Belém para lá. Dos poucos blogs que tinham ido a Marajó, em nenhum encontrei as exatas respostas para as minhas dúvidas! Por isso, esse post, para mim é um dos mais importantes para quem quer visitá-la.

Como chegar…

Pensar que tinha já tinha reservado um pousada me causava calafrios quando constatava que não sabia como faria para chegar em Marajó. Que seria de barco era até meio óbvio, mas onde comprava a passagem, quanto custava, quantas horas durava a viagem e se a embarcação era segura eram só algumas das perguntas que eu não fazia ideia de quais eram as respostas.

Quando cheguei em Belém achei que todo mundo saberia me responder isso, mas bateu um desespero quando vi que ninguém sabia me dizer exatamente como chegaria a Marajó.

Então, fui ao terminal hidroviário, que era a única informação que eu tinha sobre a viagem e comecei a perguntar para todo mundo onde poderia comprar a tal passagem. Até que achei o guichê da Tapajós Expresso.

Essa empresa, como o nome já diz, faz a travessia Belém X Marajó de forma mais rápida. Um viagem com a Tapajó Expresso durou cerca de 2h. Mas… não pense que tudo são flores. Apesar de rápido, como a lancha balança.

Se você não tem medo de balanço de barco, se sabe nadar ou se é uma pessoa destemida essa viagem será tranquila para você. Mas, se não se encaixa em algumas das opções acima, considere um outro destino, já que pelo o que me informei, todas as rotas até Marajó são, digamos, turbulentas.

Talvez o meu pânico tenha sido maior pelo fato de não saber nadar. Afinal, se a lanchar virasse, imaginava, teria que ser rápida em pegar um colete salva-vidas para tentar garantir minha sobrevivência. #dramaqueen

Guichê da Tapajós Expresso, no Terminal Hidroviário de Belém

Devaneios a parte, os horários para ir e volta de Marajó são limitados. Para ida, você só tem a opção das 9h da manhã. Já para a volta tem de 6h ou 9h. A passagem custou R$ 48, tanto a ida quanto a volta, isso em 2017.

Já no barco, bem na hora que a lancha balança horrores descobri, conversando com a passageira ao meu lado, que a viagem das 6h era mais tranquila. Às 9h, a maré está alta e como a lancha vai muito rápido, acaba balançando mais.

#FicaADica: Se quer fugir do balanço brusco da lancha opte pelo horário das 6h. Acordar cedo não vai te matar, vai por mim!

Uma das sensações mais felizes da minha vida foi ver que o porto de Soure e saber que dentro de instantes estaria em terra firme e segura. Para volta, fui esperta e tratei de comprar logo minha passagem das 6h, para garantir uma viagem mais tranquila.

Dito e feito, na volta consegui até dormi na lancha e entre um balanço e outro, desta vez mais ameno, conseguir até ver o sol nascer na Bacia de Marajó.

Ah, também existe outra opção para chegar em Marajó. Nesse caso, é preciso se deslocar até Icoaraci, distrito a 20 quilômetros de Belém. Essa é uma opção bacana para quem está de carro, já que dá para levá-lo na balsa.

Porto de Soure

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém

O que fazer na Ilha de Marajó

Onde se hospedar na Ilha de Marajó

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

***

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
0 In Brasil/ Ilha de Marajó/ Pará

Onde se hospedar na Ilha de Marajó?

Compartilhe:

Marajó é a maior ilha fluvial do mundo. Por conta da imensidão, isso pode fazer você ficar confuso na hora de escolher uma hospedagem. Quando fui para lá, escolhi ficar em Soure. E entre as opções de hospedagem optei por ficar na Pousada Aruanã.

Normalmente, quando escolho uma hospedagem opto pelas opções que juntem uma boa localização, um bom preço e conforto. Ou seja, o melhor custo benefício. 

Você sabia que pode reservar sua hospedagem através do Kari Desbrava? Clique no link do Booking.com e faça sua reserva! Assim você resolve sua viagem e ainda ajuda o blog sem pagar nada a mais por isso

E na época em que fui, maio de 2016, a pousada Aruanã era a que mais reunia essas condições.

Antes de ir, estava com um pouco de receio. Não pela pousada, mas pelo fato de ser minha primeira grande viagem sozinha. Quando cheguei a Marajó, acabei tendo uma grata surpresa. A Pousada Aruanã fica muito perto do local de desembarque da lancha.

Claro que me preocupo com a localização, como disse antes, mas não imaginei que era tão perto. rs

As instalações

Na Aruanã reservei um quarto com cama de casal e uma de solteiro, um exagero para uma viajante solo, mas era o que tinha, rs. Além disso, a diária me dava direito a café da manhã. Paguei R$ 100 por dia e lá só aceitam dinheiro. 

As instalações da pousada são simples, mas confortáveis. E o quarto é dividido em três partes: uma parte com a cama, outro com um espaço vago e uma geladeira e o banheiro. Além disso, o quarto possuí ar-condicionado e TV. 

quart-pousada-aruana

Não repara a bagunça! Quarto da Pousada Aruanã

 

pousada-aruana-9

Meu quarto ficava no segundo andar da pousada

pousada-aruana

Vista da varanda do segundo andar

No café da manhã, há opção de sucos típicos da região, como taperebá e bacuri, queijo e manteiga de búfalo, bolo, pães e frutas. Tudo simples mais muito gostoso.

A Aruanã também tem piscina e sempre que voltava da praia, passava um tempo lá relaxando. 

pousada-aruana-3

pousada-aruana-5

pousada-aruana-2

A única ressalva com a pousada é o Wi-fi, que não pega nos quartos 🙁 Só funciona no primeiro piso.

Ah, um salve para o funcionário Val, que me recebeu quando cheguei e foi super atencioso. Me explicou tudo sobre Marajó e sobre a pousada. Obrigada pelas dicas e pela recepção Val! 🙂

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém

O que fazer na Ilha de Marajó

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

***

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
12 In Ilha de Marajó/ Pará

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

Compartilhe:

Algo que me revigora a alma é o contato com a natureza. E esse foi um dos motivos que me fez querer conhecer a Ilha de Marajó. Já estava a pouco mais de um ano sem férias, então algo que eu precisava mesmo era um canto longe da doideira da cidade grande.

Além das praias, que são maravilhosas, Marajó também tem fazendas. As três que realizam passeios são a Fazenda Bom Jesus, a São Jerônimo e a Fazenda Araruna. A título de curiosidade, o turismo nas fazenda de Marajó começou após a gravação da novela “Amor Eterno Amor” e do reality show “No Limite 5”, ambos gravados na Fazenda São Jerônimo. Ao perceber que as fazendas poderiam virar pontos turísticos os proprietários abriram as portas para os visitantes. 
fazenda-bom-jesus-4

fazenda-bom-jesus-5

Lugar mágico

Me arrisco a dizer que a Fazenda Bom Jesus é um lugar mágico. Que natureza! É tão calmo e tranquilo, que em determinados pontos do passeio você ouve somente o barulho do vento batendo no rosto e o ruído dos bichos.

Como não recuperar a energia em um lugar desses?

fazenda-bom-jesus-3

fazenda-bom-jesus-2

Minha escolha pela fazenda Bom Jesus, inicialmente, se deu por eles buscarem e trazerem os hóspedes na pousada. Mas, no fim do passeio, fiquei muito feliz de conhecê-la, pois aquela natureza toda é uma atração imperdível.

Durante o passeio, você andará de búfalo (pouco metros, só para saber como é. Ah, essa parte pode ser dispensável caso você não se sinta a vontade), cruzará a fazenda a pé, vendo os mais diversos animais: sapos, búfalos, araras, guarás, entre outros; Pegará um barquinho e no final verá o pôr do sol e a revoada dos guarás. Esse com certeza é o momento mais lindo do passeio. (Assista ao vídeo e veja como foi o passeio na Fazenda Bom Jesus)

No fim, ainda ganhamos um lanchinho: queijo de búfala, pão com manteiga de búfala, bolo de tapioca, bolo com cobertura de cajá e suco de bacuri.

Dicas práticas:

O guia te busca na pousada às 15h e o retorno normalmente acontece às 19h. Vá com um calçado e roupas confortáveis, passe protetor solar e repelente se for alérgico a mosquitos. Vale levar um óculos de sol também e água! O passeio custa R$ 90. 

fazenda-bom-jesus-6

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém  

O que fazer na Ilha de Marajó

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
4 In Ilha de Marajó

O que fazer na Ilha de Marajó

Compartilhe:

Nas minhas últimas férias realizei o sonho de conhecer a Ilha de Marajó. Localizada no estado do Pará e com 50 mil quilômetros quadrados de área, Marajó é composta por 16 municípios sendo os mais conhecidos deles Soure (a “capital” da ilha) e Salvaterra.

Famosas por ter uma população abundante de búfalos, a Esmeralda (apelido da ilha) é realmente encantadora. Por essas e outras, listei o que conhecer em uma viagem para Marajó.

– Praia da Barra Velha

É uma das praias mais acessíveis de Soure. Fica somente a 3km do Centro da Cidade. Para conhecê-la pegue um mototáxi e combine com ele um horário da volta. Não se preocupe, que o motorista não vai esquecer de você. Quando estiver em Barra Velha, aproveite para curtir o carimbó que estará tocando e coma uns camarões com uma cervejinha na barraca do Netuno. Tenho certeza que irá gostar 🙂 

Praia da Barra Velha

Praia da Barra Velha

– Praia do Pesqueiro

Essa praia também fica em Soure, entretanto a 14 km de distância do centro. Ir a pé para lá é algo impensável.  Faça o mesmo esquema do mototáxi e seja feliz. No caminho você enfrentará uma estrada bem asfaltada e verá diversas fazendas. Curta o percurso e se jogue quando chegar na praia.

– Fazenda Bom Jesus

Foi um dos passeios que mais gostei de fazer. Resumidamente, você anda de búfulo, anda pela fazenda e volta de barquinho. Ah, o grupo também ganha um lanchinho do final e você é buscado e deixado no local da sua hospedagem. Farei um post em breve sobre esse passeio. 

passeio-fazenda-bom-jesus

passeio-fazenda-bom-jesus-2

passeio-fazenda-bom-jesus-3

 

– Fazenda São Jerônimo

Dos passeios dessa lista foi o único que não fiz. Mas, nem por isso deixo de recomendar. Com belas paisagens , foi na Fazenda São Jerônimo que foi gravada o reality show ‘No Limite 5’ e cenas da novela Amor Eterno Amor.

– Arte marajoara

A arte marajoara caracteriza-se por um tipo de cerâmica produzida por tribos indígenas que habitavam a ilha Marajó durante o período pré-colonial de 400 a 1400 d.C. Até hoje é possível encontrar esse tipo de arte pela ilha. Se quiser conferir a arte Marajoara original de uma passada no Atelie M Barayo Cerâmica. 

 

Arte marajoara

Arte marajoara

Fachada do ateliê

Fachada do ateliê

– Ruínas de Joanes

As ruínas de Joanes ficam em Salvaterra. O que sobrou das antigas igrejas do século XVII são resquícios da época em que os jesuítas tentavam colonizar os índios. Ao lado da ruína, fica a igreja de Nossa Senhora do Rosário, esta construída na década de 40. Nossa Senhora do Rosário é a padroeira da Ilha de Marajó. 

Ruínas de Joanes

Ruínas de Joanes

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém 

 

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e ajude o Kari Desbrava a continuar produzindo conteúdo de qualidade 🙂

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
0 In Felicidade/ Mais recentes/ Para mulheres/ Viagens

4 motivos para continuar viajando sozinha mesmo namorando

Mulher sentada em um banco
Compartilhe:

Dia dos namorados, cheiro de romance no ar e porque não pensar por quais motivos podemos e devemos continuar viajando sozinha mesmo depois de começar a namorar? Poderia escrever sobre destinos para viajar em casal, mas resolvi seguir na contramão e continuar incentivando a mulherada (e os homens também!) a viajar mesmo estando em um relacionamento. Vamos conferir?

Você não nasceu grudada (o) com ninguém

Tem mulheres (e homens!) que começam a namorar e esquecem da vida social e dos amigos. Os motivos para isso são vários, mas creio que o maior seja a insegurança. Acham que se saírem vão dar motivo para briga ou o outro vai sair também. E qual o problema dele (a) sair também?

LEIA MAIS: 14 blogueiras incentivam garotas a deixarem o medo de lado e viajarem sozinhas

Dicas para planejar uma viagem sozinha

Lembre-se que você não nasceu grudada com ninguém! Desculpe a estupidez, mas se você não é uma gêmea siamesa, não tem motivo para ficar dependendo da companhia de outra pessoa para fazer as coisas, como viajar, por exemplo.

Demonstra confiança

Confiar em quem nos relacionamos é fundamental para um namoro/casamento dar certo. E quer prova maior de amor do que seu amado ficar tranquilo com o fato de você viajar sozinha e vice e versa? Se você está em um relacionamento assim, onde a confiança impera, levante as mãos para o céu e agradeça! Caso não, procure melhorar isso e se não der, corra! Ou melhor, pegue as malas e viaje! hehehe 

Mulher em frente as ruínas

Desbravando a Ilha de Marajó na minha própria companhia

Mantemos a individualidade

Namorar é bom demais! Mas, manter a individualidade é super importante. Você tem uma história antes do relacionamento (e ele também!), jamais se esqueça disso. Precisamos ter tempo para tudo, inclusive para nós mesmos. Às vezes é preciso nos reconectamos conosco, darmos um tempo do outro para voltarmos a sermos companhias ainda melhores. E uma viagem solo é uma oportunidade para se autoconectar. Seu relacionamento com certeza vai agradecer 😉

LEIA MAIS: Viajar sozinha é perigoso?’ | Por Elma Souza

Insegurança, falta de dinheiro e de tempo livre impedem que as brasileiras viajem mais, aponta pesquisa

Voltamos cheias de história para contar

Viajar sozinha é sinônimo de voltar cheia de história para contar. É um lugar que você conheceu e achou a cara dele, é uma foto que você precisa mostrar pro seu companheiro, ou uma comida exótica que experimentou e deseja compartilhar como foi esse fato. Não importa tanto o que você tem para contar, aqui o mais legal é o fato de compartilhar o que se aprendeu com quem se ama. Isso renova e traz um frescor pro relacionamento, que é necessário para enfrentar o que a rotina é capaz de minar.

Nesse Dia dos Namorados desejo que você que lê esse texto seja muito feliz independente de ter um relacionamento ou não. Que viaje muito independente do seu estado civil e que aproveite todas as chances que tem de se fazer feliz!

E aí, você tem motivos para continuar viajando mesmo estando em um relacionamento que não estão no texto acima? Deixa nos comentários!

**

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
In

Vídeos

Compartilhe:

Brumadinho além de Inhotim em 1 minuto

Live: Como lidar como medo, a falta de tempo e de dinheiro

Live: Carnaval no Rio de Janeiro

Como a febre amarela afeta a vida do viajante

ID Jovem: o que é, quem tem direito, como funciona…

Live: Lugares não convencionais para viajar

Como não se endividar com as viagens de fim de ano?

Viaje sozinha (o)

Visita guiada à Arena da Baixada, em Curitiba

Ilha de Marajó, no Pará

Trilha da Pedra do Pontal em 1 min

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

Belém – parte I

Belém – parte II

Como planejar uma viagem sozinha (o)

Tag wanderlust

Paraty em 30 segundos – Poço do Tarzan e Alambique D’Ouro

Fortaleza de São João, na Urca, no RJ

Dois livros para viajar

Um dia no Aldeia das Águas, em Barra do Piraí (RJ)

Tudo sobre voar de asa delta

Centro de Visitantes Paineiras

Três dicas para perder o medo de viajar sozinha

Compartilhe:
0 In Belém

Mangal das Garças, um pedaço da riqueza amazônica no centro de Belém

Compartilhe:

Muito verde, natureza, preservação ambiental. Se essas palavras lhe chamam a atenção com certeza você vai gostar deste post. Durante minha viagem ao Pará, conheci lugares lindos que fica até difícil dizer qual foi o que mais gostei. Mas, no top 5 está o Mangal das Garças, que fica bem próximo ao Centro Histórico de Belém.

O Parque Naturalístico Mangal das Garças foi criado em 2005 com o intuito de revitalizar uma área de cerca de 40.000 metros quadrados às margens do Rio Guamá. O resultado disso é um espaço que une natureza, com as mais variadas atrações da fauna e flora da Amazônia, e atrações turísticas que deixam os visitantes encantados.

O Mangal das Garças é dividido em nove atrações, que são elas:

-Memorial Amazônico da Navegação

-Farol de Belém

-Viveiro das Aningas

-Restaurante Manjar das Garças

-Mirante do Rio

-Lago Cavername & Lago da Ponta

-Fonte de Caruanas

-Borboletário

-Armazém do Tempo

Destas, as que mais me encantei e que vale demais a visita são o Borboletário e o Viveiro das Aningas. Em ambas as visitas, os responsáveis pelo espaço explicam a rotina dos animais, mostram do que eles se alimentam e você entende mais um pouquinho da grandiosidade da nossa natureza.

Também ouvi falar super bem do restaurante Manjar das Garças, mas como cheguei lá depois do horário do almoço não consegui conhecê-lo. Fica para uma próxima viagem a Belém.

O Farol de Belém estava interditado quando fui 🙁 Queria tanto tirar uma foto do parque lá de cima. Mas, isso também vai ficar para uma próxima viagem.

Quando for, aproveite para andar bastante pelo parque e explorar os encanto que só a região amazônica tem.

Tarifas e horários de funcionamento

O Mangal das Garças funciona de terça a domingo, das 9h às 18h. A entrada no parque é gratuita, porém para conhecer o Borboletário, o Farol, o Viveiro e o Memorial da Navegação da Amazônia é preciso pagar. O valor da entrada de cada atração custa R$ 5. Caso queira conhecer todas as atrações vale comprar o passaporte, que dá acesso a todos os espaços por R$ 15 (uma economia de R$ 5.

O Mangal das Garças também possui estacionamento com 107 vagas. O valor da hora neste caso é de R$ 5.

Eles também oferecem a opção de passeio guiado. As visitas podem ser feitas de terça a sexta-feira, nos horários das 9h, 10h30, 14h30 e 16h. O tour pode ser agendado aqui.

Para mais informações, só entrar em contato com o Mangal através do telefone (91) 3242-5052 ou e-mail: agendamento@mangalpa.com.br.

Curiosidades que aprendi no Mangal

– Os guarás, aqueles pássaros vermelhos, originalmente tem as penas acinzentadas, mas adquirem aquela coloração por conta da alimentação à base de um caranguejo rico em caroteno;

– As arraias (raias) de água doce ou amazônicas são coloridas, diferentemente das arraias de água salgada.

 

– Alguns animais que estão no Mangal das Garças, e que recebem cuidados das equipes do local, seriam traficados, foram recuperados em operações do Ibama e levados para o Mangal por não terem mais condições de viverem na natureza.

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém

Review Manga Hostel: hospedagem em Belém do Pará

O que fazer na Ilha de Marajó

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

***

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
0 In Belém/ Ilha de Marajó/ Listas/ Pará/ Viagens

8 músicas para vivenciar o Pará

Compartilhe:

O Pará é um estado muito rico culturalmente. Sua gastronomia, música e história são fantásticas e encantam qualquer viajante que vai conhecer a terra do açaí. A paixão do povo paraense pelas suas tradições fazem qualquer um sentir orgulho daquele povo e até querer sentir o mesmo orgulho pelo lugar da onde se veio.

Pensando nesse amor pelas tradições, selecionei uma lista com 8 músicas que são a cara do Pará. Algumas conheci durante minha viagem por aquelas terras. Outras descobri pesquisando quando voltei. Mas, independente disso, todas vão fazer você se sentir como se estivesse lá. Aperta o play!

1 – Ai Menina, Lia Sophia

2 – No Meio do Pitiu, Dona Odete

3 – Curió do Bico Doce, Gonzaga Blantez

4 – Voando Pro Pará, Joelma

5- Garota do Tacacá, Pinduca

6 – Carimbó, Banda Calypso

7 – Pout-Pourri Pra Dançar Carimbó | Rebola, Banda Calypso

8 – Meteoro, Banda Iza Show

Bom, essa foi minha seleção musical! Curtiu?

Me conta nos comentários se você acrescentaria mais alguma música!

 

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém

Review Manga Hostel: hospedagem em Belém do Pará

O que fazer na Ilha de Marajó

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

 

Beijos,
Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
0 In Belém

Review Manga Hostel: hospedagem em Belém do Pará

Compartilhe:

Um tipo de hospedagem que sempre cogito quando vou viajar são os hostels/albergues. Opções mais baratas que hotéis e a possibilidade de fazer amigos é uma coisa que me atrai nesse tipo de hospedagem. Por isso, quando fui para Belém, no Pará, também optei por ficar em um hostel.

Depois de muita pesquisa no Booking, escolhi ficar no Manga Hostel e nesse texto vou expor o que achei do local.

O hostel

O que mais gostei no Manga Hostel foi a recepção e os amigos que fiz lá. O pessoal do hostel é muito acolhedor e simpático e acho que isso é essencial para o viajante se sentir em casa.

Durante a minha viagem ao Pará, fiquei lá nos meus dois primeiros dias em Belém e nos dois últimos. Nesse meio tempo conheci Marajó.

Entre as outras coisas que gostei também estão o fato do quarto ter banheiro. Isso facilita muito a vida, sem falar que você não precisa ficar carregando as coisas de um lado para o outro, minimizando as chances de esquecer alguma coisa e ter que voltar no quarto para buscar. 

manga-hostel-belem-para-6

manga-hostel-belem-para-4

O café da manhã é simples: tem pão, manteiga, queijo, presunto, café, leite e frutas. Mas está dentro do padrão de um hostel.  O albergue fica perto de um supermercado e de locais para comer, facilitando assim a vida de quem quer cozinhar.

Outra coisa bacana é que tem piscina, um refresco e tanto para o calorão de Belém.

manga-hostel-belem-para-2

Sobre as coisas que não gostei… O compartimento para guardar a bagagem que fica embaixo da beliche era muito difícil de fechar. Jesus! Como eu sofria toda vez que tinha que guardar minha mochila. Encaixar o cadeado então era mais complicado ainda… hahaha

Fora isso, o Wi-Fi era bem complicado. Caía bastante e praticamente não pegava no quarto. Para uma viajante conectada como eu, essa parte era bem difícil.

Sobre localização, o Manga Hostel fica no bairro São Brás. Sinceramente, pelo mapa achei que fosse mais perto dos pontos turísticos. Não é longe e tem a opção de pegar ônibus no terminal próximo ao hostel, mas para uma mulher sozinha não achei Belém tão segura e por isso resolvi me locomover de Uber. No fim, por esse quesito, achei que poderia ter escolhido uma hospedagem mais próxima aos locais que queria conhecer e ter feito mais coisas a pé.

Sobre a hospedagem

Pontos positivos:

– Equipe atenciosa;

– Banheiro dentro do quarto;

– Cama confortável;

– Piscina;

Ponto negativos:

– Compartimento para guardar a bagagem;

– Wi-fi fraco;

– Localização razoável;

 

E você, já viajou para Belém? Onde ficou hospedado? Me conta nos comentários!

 

Confira outros posts sobre o Pará:

Pará: diversidade cultural e riquezas do Norte do Brasil

Passeio de barco pela orla de Belém

O que fazer na Ilha de Marajó

Passeio na Fazenda Bom Jesus, na Ilha de Marajó

***
Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe:
2 In Para mulheres/ Viagens

Desafio: Vai viajar sozinha? 10 curiosidades sobre minhas viagens

Compartilhe:

Fui desafia pela Rayane Azevedo, do blog AzWanderlust, a responder dez perguntas sobre minhas viagens sozinha. Como adoro um desafio topei de cara e as respostas você confere abaixo.

Ah, o desafio foi elaborado pela Rayane e pela Mariana, do Mariana Viaja. Clique aqui e aqui para conferir as respostas dessas minas viajantes 🙂

E como não poderia deixar de ser, antes de começar a responder as minhas perguntas, desafio a Marcela Falco do blog Diário de Navegador a responder as 10 perguntas.

1 – Quando e onde foi sua primeira vez (de viagem solo, viu? rs)?

A primeira vez que viajei sozinha foi aos 16 anos para Saquarema. Não foi exatamente uma viagem solo, pois foi somente o trajeto de ida sozinha. Mas, pra mim, na época foi emocionante e angustiante ao mesmo tempo ter em mãos a responsabilidade de me virar completamente sozinha, mesmo que por algumas horas.

Depois disso, passear sozinha na minha própria cidade se tornou algo natural. Então, é super comum me ver pelo Rio conhecendo novos lugares na minha própria companhia. Agora, viagem viagem mesmo, a minha primeira solo foi em maio deste ano para Belém e Ilha de Marajó. Além do desafio de estar sozinha, também tive o desafio de não ser um destino tão desenvolvido e em que não é comum ter mulheres viajando sozinha. Foi desafiador e, por isso, acredito que voltei mais confiante.

LEIA MAIS: Dicas para planejar uma viagem sozinha

2 – Por que você foi sozinha: era uma vontade ou foi necessidade?

Necessidade. Queria muito curtir o Carnaval na região dos Lagos, mas só poderia ir depois do pessoal que estava na casa. Então, comprei a passagem e fui.

3 – Você costuma planejar ou é daquelas que arruma a mala e vai?

Gosto de planejar. Sou metódica demais pra me jogar sem o mínimo de planejamento. Mas, um dia desejo viajar assim, sem planos para ver como é a experiência.

kari-solo-travel

Na sequência: em Marajó, Belém, Niterói e no Centro do Rio

4 – Já passou algum perrengue desesperador por estar sozinha? E como deu a volta por cima?

Não e que bom que não! Mas, se acontecer volto aqui e mudo a resposta.

5 – Costuma ficar em albergue ou hotel? E prefere mala ou mochila?

Sobre o albergue ou hotel vai depender da localização, preço, etc. Agora, sobre mala ou mochila com toda certeza mochila. É mais prático e mais fácil de carregar e vigiar as coisas. Mala dá muito mais trabalho.

6 – O que deu muito errado? E o que deu muito certo?

Errado ainda nada. Agora certo todas as experiências e amigos que fiz no caminho. Além do autoconhecimento adquirido. Isso é uma coisa que ninguém me tira 🙂

7 – Já pegou carona ou se hospedou na casa de alguém?

Não. Prefiro os meios tradicionais, rs. Não tenho esse nível de desapego, mas admiro muito quem tem. Quanto a se hospedar na casa de alguém sozinha, acho que se eu reservar através de uma plataforma como Airbnb até tenho coragem. Agora, carona essa acho que tô fora mesmo! hehehe

LEIA MAIS: Mas, e você vai sozinha?

8 – Você acha que viajar sozinha é perigoso?

E que lugar não é perigoso? O mundo como todo é perigoso. Por isso, não acho que essa resposta seja uma justificativa para não viajar sozinha. Acho que viajar sozinha traz mais vantagens do que desvantagens. Agora, é claro que sempre tomamos alguns cuidados, como não dar mole com os pertences, sempre nos comunicar com nossos amigos e familiares, compartilhar a localização, não exagerar no álcool…

9 – Tem filho, namorado, marido, cachorro papagaio? Como conciliar isso com as viagens solo?

Namoro, mas não acho que isso seja impedimento para ter um momento meu. Temos tempo para nós, para nós com nossos familiares, para nós com nossos amigos e para cada um ficar sozinho também. E nesse tempo sozinha porque não viajar? Acho isso super saudável pro relacionamento, afinal ninguém precisa esquecer sua individualidade só porque está namorando.

10 – O que não pode faltar na sua bagagem?

Roupas confortáveis e versáteis. Viajando, sozinha ou não, só tem eu para carregar a minha bagagem logo levar muito peso, já que sou eu que vou ter que carregar, está fora de cogitação. Apesar de não ser fácil levar pouca coisa, posso dizer, com certo orgulhinho, que tenho conseguido 🙂

BONUS: Inspire mais mulheres a viajarem sozinhas! Em três palavras, o que é viajar sozinha para você?

Viajar sozinha é ter mais liberdade para fazer as coisas na hora que quiser e se quiser. O que significa ser mais independente também. Além de melhorar o conhecimento sobre nós mesmos. É um mergulho em si próprio.

***

Se você achou esse texto interessante compartilhe com seus amigos nas redes sociais! Assim, além de ajudar o blog, você ainda ajuda algum amigo que precisa saber dessas informações! 

Beijos,

Kari.

Você sabia que através do ‪#‎KariDesbrava‬ você pode reservar seu hotel, contratar um seguro viagem ou alugar um carro? É só clicar nos links abaixo! Assim você resolve tudo da sua viagem e ainda ajuda o blog a se manter sem pagar nada a mais por isso.

Reserve seu hotel com Booking
Seguro Viagem Real Seguros
Alugue um automóvel com a Rentcars



Compartilhe: