0 In Carioquices

O Rio de Janeiro não é só praia

Subúrbio Carioca

Dias desses vendo fotos do Rio de Janeiro no Instagram (me segue lá: @KariDesbrava) vi um perfil em que achei maneiríssimo. A identificação com o perfil foi imediata já que meu coração, além de ser carioca, é suburbano. <3

Nada contra aos perfis que exaltam nossa natureza, as belas praias e meninas e meninos bonitos que desfilam seus corpos bronzeados pela orla. Pelo contrário, eles também retratam a vida carioca. Entretanto, o @rio.suburbano retrata a vida simples. A vida de um local. De um carioca. Sem glamour. Sem exaltação. Sem faniquitos.

O Rio não é só praia _ kari desbrava

 

O Rio é muito mais que praia. Foi essa frase que me fisgou para o perfil do @RioSuburbano e me fez ter vontade de escrever esse texto. Quando decidi que queria escrever sobre essa cidade, e posteriormente criei este blog, essa foi a justificativa que me motivou.

Não tem como falar do Rio sem falar da Zona Sul, obviamente. Ela é nosso cartão postal. É por ela que turistas conhecem a nossa cidade e aprendem mais um pouco sobre nós. Agora, não podemos reduzir o Rio somente a ela. O Rio é o Centro. O Rio é a Zona Oeste. O Rio é a Zona Sul. O Rio é a Zona Norte. O Rio é o subúrbio. O Rio é a Baixada Fluminense.

Apesar das nossas mazelas (e qual cidade do mundo não tem as suas?), é essa mistura de morro e asfalto que faz de nós o que somos e nos torna únicos. E olha, eu tenho um orgulho danado do que somos. E para retratar a nossa essência selecionei algumas fotos do perfil @rio.suburbano para você também admirar ou conhecer mais sobre a vida do subúrbio carioca. Saca só:

380 festas da Penha. 380 anos de tradição! Uma das MAIORES festividades religiosas do Brasil que durante todos os domingos de Outubro reune fiéis católicos em seu santuário. Hoje a glória da festa se resume aos resquícios dos relatos históricos e das famílias que viveram o fim do explendor cultural suburbano nos últimos 50 anos. Hoje o BRT testemunha no alto da pedreira o santuário que fez sombra para um Largo da Penha inundado por um mar de cores de pele, sons de tambores e cordas, dialetos diferentes, heresias e devoções, peregrinações, seja por trem, carruagens ou a pé. A festa reconhecida por El-Rei de Portugal, Brasil e Algarves, D. João VI, em 1817, hoje vislumabra as poucas barracas que ainda acreditam na força da fé e da cultura, entregues ao medo e ao descaso de uma cidade que virou as costas para o seu passado rural e agora olha apenas o Cristo no alto do Corcovado como sendo seu único e legítimo símbolo. Os piqueniques no gramado, os sons, doces e comidas dos escravos e portugueses, as confusões da polícia reprimindo os profanos, a santidade da velha senhora que trouxe os netos para celebrar Nossa Senhora da Penha de França… Não, eles nunca vão apagar a História… 🙏 #riosuburbano #meuriosuburbano #riodejaneiro #rj #suburbiocarioca #errejota #ruasdazn #zonanorteetc #aboutrio #rindodejaneiro #rionagema #carioquissimo #orionaoesopraia #orionaoesozonasul #orioquenaosemostra #orioquenaosainafoto #rio450 #rio2016 #Penha #FestadaPenha #rotinacarioca #Brazil #BR

Uma foto publicada por Rio Suburbano (@rio.suburbano) em

 

 

Foto do alto de página: Aluísio Ezequiel (@aezequiel)

***

Se você gostou deste conteúdo compartilhe nas redes sociais. 😉

Beijos,

Kari.



You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox
Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox